sábado, 16 de fevereiro de 2013

Surpreendente, Angola


Acho que eu nunca havia ficado tanto tempo sem aparecer aqui no blog... nada sério, pelo contrário! O ano começou agitado e eu acabei aproveitando cada minuto, não conseguindo nem me concentrar para escrever aqui! 

Resumindo: Fomos ao Brasil comemorar!

A primeira comemoração é que a minha sogra terminou o tratamento contra o câncer! Ela está ótima, animada e cheia de planos! 

A segunda comemoração, foi a chegada dos meus 30 aninhos! Foi uma delícia comemorar essa data com minha família, meus amigos queridos e em Curitiba! Foram dias muito, muito especiais!!! Festinha com um toque africano! eheheh

E a terceira delas é que estar no Brasil é sempre uma comemoração atrás da outra! =)

Desta vez testamos uma nova rota até o Brasil. Saímos de Libreville com a cia aérea Royal Air Maroc e fomos para Luanda - Angola, que tem voos pela cia TAAG para São Paulo e Rio de Janeiro. Voltando para o Gabão conseguimos ficar dois dias na capital angolana.

Angola, também ex-colônia portuguesa, se tornou independente em 1975. Desde então o país viveu fortes tensões políticas que culminaram em guerra civil que durou até 2002. O país, que é o segundo produtor africano de petróleo e diamantes, se reconstruiu rapidamente dos efeitos da guerra,   graças à sua força econômica. Nunca vi tantas gruas e obras em um só lugar! Surpreendente, pelas estruturas e pela beleza.

Diversos restaurantes, hotéis, condomínios de luxo, shoppings e prédios, muitos prédios, que abrigam o boom de empresas angolanas, chinesas, brasileiras e europeias (estas últimas buscando em Angola uma saída lucrativa para fugir da crise).

O ar da cidade é brasileiro, as músicas na praia são os sucessos do momento no Brasil. Lojas, TV, comidas, em toda parte tem coisas do nosso país! Não é pra menos... além das diversas empresas brasileiras que estão instaladas por lá, estima-se que cerca de 25 mil brasileiros moram em Angola.

Os problemas também existem: grande desigualdade social, IDH dos mais baixos do mundo e índice de corrupção altíssimo - a olhos nus - chocante.